Make your own free website on Tripod.com

Reportagens de Novelas: www.novelas.web.pt

César Évora em No Limite da Paixão

Home | 15 anos a mil por Hora | Susana Gonzáles no Limite do Sucesso | Canavial ou Manancial | César Évora em No Limite da Paixão | Fernando Colunga o rei das Novelas | Especial Adela Noriega | A descarada Rubí

csar.jpg

Um dos mais reconhecidos atores latinos é César Évora. Esse cubano nascido em 4 de novembro de 1959, e naturalizado mexicano em 1999, tem uma trajetória invejável, repleta de personagens diferentes e marcantes.
Sua carreira em novelas demorou para se iniciar. Já que nos anos 80, ele participou de diversos filmes como Una Novia Para David, Capablanca, La Bella de Alhambra, Gertrudis, entre outros. Tantos êxitos no cinema lhe renderam uma boa bagagem, o que fez com a Televisa o chamasse para atuar em novelas no México.
Seu primeiro papel foi Marcelo em Coração Selvagem, de 1993, e que foi exibida no Brasil em 1997 e 2000, pela CNT/Gazeta e SBT, respectivamente. Nessa novela, César fez par romântico com a atriz Verônica Merchant, o que se repetiria mais tarde. Em 1994, fez uma participação especial na novela adolescente Agujetas de Color de Rosa. 
Em 1995, ele é chamado para um dos principais papéis de Si Dios Me Quita la Vida, onde atuou ao lado de Daniela Romo. Foi seu primeiro papel estelar, mas a novela foi um grande fracasso, e César, que viveu Antonio, acabou não tendo tanta repercussão junto ao público. Em compensação, essa atuação renderia um convite para atuar em um grande êxito.
Luz Clarita foi quase que um recomeço para César. Na novela infantil, ele viveu o milionário Mariano, que adota a pequena órfã Luz Clarita (Daniela Luján) e vê a vida de sua família mudar. Mariano ainda se envolveu com a jovem Soledade, que foi vivida por Verônica Merchant. A novela foi vendida para muitos países, sendo exibida com muito sucesso. Com isso, César teve sua imagem reconhecida internacionalmente.
No mesmo ano, em 1996, faz uma participação especial na primeira semana de Canavial de Paixões, como Amador. Em 1997, ele atua como um grande vilão na novela Gente Bien. Jaime Dumas era capaz de tudo, além de ter sido acusado de crimes ecológicos, era um homem déspota e violento, que chegou a matar sua própria esposa, Rebeca (Helena Rojo). Porém, novamente essa novela não obteve o sucesso esperado. 

No ano seguinte, César ganha um papel na novela O Privilégio de Amar. Ele viveu o Padre João da Cruz, que no passado cometeu o pecado da carne, mas decide que de fato seu destino era servir a Deus. Além disso, volta ao passado ao reencontrar sua paixão de adolescente, o que desencadeia a revelação de vários segredos. Sua atuação foi tão marcante que mereceu o elogio do Vaticano, que admirou a postura do padre. Além disso, rendeu a César seu primeiro TV y Novelas, de melhor ator coadjuvante.
Em 1999, atua em Laberintos de Pasion como Gabriel, um homem atormentado por um amor por sua protegida, Julieta (Letícia Calderón). Muitos conflitos acontecerão quando Pedro (Francisco Gattorno) viver uma história de amor com a bela mulher. Isso porque Pedro é, na verdade, filho de Gabriel. Foi um ano de muito êxito e satisfações. Acabaria lhe rendendo um de seus papéis mais inesquecíveis. Em 2000, Salvador Mejía Alejandre começa com César uma parceria de êxito. Isso começou com o grande sucesso de seu personagem, o terrível vilão Frederico Rivero em Abraça-me Muito Forte. Interesseiro, o fazendeiro mata Diego (Osvaldo Rios) e se casa com Cristina (Victoria Ruffo). Além disso, tem uma obsessão: ter Maria do Carmo (Aracely Arámbula), filha de Cristina, mesmo sendo amante de Estela (Rossana San Juan) e Débora (Nailea Norvind), esposa de seu filho, Carlos Manuel (Fernando Colunga). A novela rendeu a César outro prêmio, o de melhor vilão de 2000. Durante as gravações, ele ficou muito amigo de Fernando Colunga e Victoria Ruffo. A partir daí, César Évora consagrou-se definitivamente no hall dos atores do primeiro time da Televisa.
Em 2001, é convidado para viver Justo em Manancial, mas não aceitou, por achar muito parecido ao seu personagem anterior. Apesar disso, aceita viver Adalberto, na primeira fase da novela. Logo em seguida, aceita participar da novela No Limite da Paixão, novamente com Salvador Mejía Alejandre. A princípio, seu personagem seria Maciel, mas como Salvador não acertou as negociações com Osvaldo Rios para viver Otávio, César acabou ficando com o papel. Grandes mudanças foram feitas para adequá-lo ao personagem. 
Vivendo Otávio Villareal, um homem neurótico e ciumento, ele se destaca em meio a grandes estrelas da televisão mexicana, pois tornou Otávio um personagem muito diferente aos tradicionais galãs de novelas. Porém, durante as gravações, houveram alguns contratempos com a escritora Liliana Abud, que chegou a afasta-lo da novela por um capítulo. Mesmo assim, tudo se resolveu e a novela terminou com o êxito e repercussão merecidos. Pouco tempo depois, reaparece no primeiro capítulo da novela Así Son Ellas, como Luis, o marido violento e bruto do personagem de Cecília Gabriela. Os dois morrem no início da história.
Atualmente, vive Atílio, em Mariana de la Noche, que retoma mais uma vez seu trabalho como vilão, e ao lado de Salvador Mejía Alejandre. Nessa história, vive um homem obcecado pelo amor de Mariana (Alejandra Barros), que acredita que ele é seu pai. Mais uma grande atuação de César.
Sua vida pessoal é muito simples, é casado com Vivian e tem três filhos: Rafael, Mariana e Carla, que vivem em Cuba. É um pai dedicado que procura estar sempre presente.
Sua trajetória é vitoriosa, ele é amplamente elogiado por público e crítica do mundo inteiro. César é um dos melhores atores da TV, e mereceu todo o sucesso que teve!